22 de fevereiro de 2024

Análise de mercado: o potencial do e-commerce para indústrias

As empresas possuem muito mais recursos para alcançar novos públicos do que algumas décadas atrás, antes da internet. Uma pessoa que mora no interior do Ceará, por exemplo, consegue facilmente encontrar e comprar produtos da capital de São Paulo com poucos cliques.

Essa facilidade não surgiu apenas com a internet, mas também com a criação dos e-commerces. Embora os catálogos virtuais já existam desde a década de 90, o hábito de comprar online só se fortaleceu verdadeiramente após a popularização do Google em 2000.

Além da compra online, o consumidor também tem o hábito de pesquisar sobre os produtos antes de efetuar as compras. Então, se sua marca não está presente na internet, dificilmente será encontrada por novos consumidores.

O problema disso é que a empresa terá dificuldades em alavancar as vendas e impulsionar seu crescimento. Além disso, também pode reduzir as vendas e, por consequência, até levar à falência. Quando um negócio também existe no online, os consumidores depositam mais credibilidade à marca.

A explicação é que, ao pesquisarem sobre os produtos e lojas, os consumidores consideram as avaliações de pessoas que já realizaram uma compra, assim como sobre o atendimento e a experiência total do cliente.

Contudo, é importante ressaltar que qualquer tipo de empresa pode entrar na internet e criar seu próprio e-commerce, e não apenas empresas varejistas. Isso quer dizer que não apenas modelos B2C (Business to Consumer) podem ter sucesso com as vendas online, como também empresas D2C (Direct to Consumer), como é o caso das indústrias.

Entenda o potencial do e-commerce para indústrias

Aumento no número de consumidores

Os consumidores brasileiros adotaram bem o hábito de comprar pela internet, tanto que 61% da população diz comprar mais por lojas onlines do que lojas físicas. Além disso, 78% dos consumidores afirmam que compram mais de uma vez por mês.

Outro dado interessante é que 73% dos consumidores dizem preferir comprar por e-commerce por encontrar preços mais baixos do que em lojas físicas.

Desde 2020, as compras online sofreram uma explosão, o que ocorreu principalmente devido ao isolamento social. Contudo, o crescimento continuou em expansão, mesmo com o fim da pandemia. 

A pesquisa mais recente da NIQ Ebit, 48º edição Webshoppers, revela um aumento do número de consumidores. Em 2023, houve um crescimento de 6% de consumidores brasileiros em comparação com o primeiro semestre do ano anterior:

  • Em 2022: 49.8 milhões (crescimento de 19%);
  • Em 2023: 53 milhões (crescimento de 6%).

Já em relação ao ano completo de 2023, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOMM) registrou a marca de 87.7 milhões de consumidores de e-commerces, frente aos 83.8 milhões em 2022.

Então, mesmo em contato com o mundo exterior, milhões de pessoas não só continuaram realizando compras online, como também novas pessoas passaram a comprar.

Aumento no valor de vendas

De acordo com a pesquisa Webshoppers, de 2022 para 2023, também houve o crescimento do valor em vendas online no primeiro semestre, de R$ 121,7 bilhões para R$ 128 bilhões.

No faturamento total de 2023, foi registrado pela ABCOMM R$ 185,7 bilhões pela ABCOMM, um aumento de aproximadamente 9,49% em relação a 2022 (R$ 169,6 bilhões).

Agora, queremos ressaltar um dado importante para as indústrias. No quesito faturamento de vendas online, também foi considerada a participação de fabricantes. Em 2022, o faturamento do setor representava 1,9% do total. Já em 2023, aumentou para 2,7%.

Isso demonstra que cada vez mais as indústrias estão adotando o meio online e estão obtendo ótimos retornos, e nesse tempo, estão obtendo vantagens perante seus concorrentes que estão vendendo apenas no meio físico, e sem considerar o consumidor final.

De acordo com a ABCOMM, as categorias que tiveram maior participação no faturamento das vendas em e-commerces são: 

Categorias de e-commerces que mais tiveram faturamento
Categoria
Faturamento (R$)
Eletrodomésticos
Telefonia
Eletrônicos
Decoração
Informática
17.58 milhões
14.32 milhões
11.67 milhões
10.66 milhões
10.35 milhões

Dados referentes a ABCOMM 2023

E-commerces para indústrias: como se preparar

Na prática, existem duas estratégias a serem implementadas simultaneamente pelas indústrias: plataforma de e-commerce e vendas para o consumidor final.

Ao se tornar dependente dos intermediários, as indústrias conseguem aumentar sua margem de lucro. Contudo, isso não significa eliminar os outros elementos da cadeia produtiva, sejam distribuidoras ou varejistas. 

Uma forma de não prejudicar os parceiros é focar em nichos mais específicos, aqueles que o varejo não consegue atender. Você também pode optar por oferecer descontos aos parceiros para estimular a compra.

Leia também:

Principais desafios das indústrias no e-commerce 

Quais são os benefícios das indústrias venderem em e-commerces?

Ao vender para os consumidores finais pela internet, é possível rastrear a jornada de compra e oferecer uma experiência mais personalizada, por meio da coleta alguns dados, como:

  • Produtos mais pesquisados;
  • Produtos mais vendidos;
  • Produtos que geram a maior receita.

Veja também:

Entenda o que é a curva ABC e quais são os seus benefícios 

Além disso, é possível adotar estratégias de remarketing para pessoas que visitaram seu site, olharam um produto ou adicionaram um item no carrinho, para impactar esses consumidores com gatilhos que incentivem a compra.

Dentre os principais fatores que motivam os consumidores a comprar pela internet, podemos citar:

  • Frete grátis;
  • Promoções;
  • Economia de tempo;
  • Não precisar sair de casa;
  • Cupom de desconto.

Ao ter uma quantidade maior de informações, e com mais qualidade, também é possível testar novos produtos no mercado, assim como prever tendências.

Outro ponto que você precisa saber é que não é necessário ter um estoque de todas as suas mercadorias. É possível trabalhar com produção sob encomenda.

Lexos Hub pode ajudar sua indústria a entrar no mundo dos e-commerces

Lexos Hub é um hub de integração de marketplaces e e-commerces, que conecta os estoques de lojas físicas e virtuais em um único lugar.

Nele, você encontra uma solução completa, que tem integração com as principais plataformas de e-commerce do mercado e marketplaces:

  • Vtex
  • Nuvemshop
  • Jet
  • Tray
  • Tray Corp
  • Woo Commerce
  • Simplo 7
  • Amazon
  • Magazine Luiza
  • Mercado Livre
  • Americanas
  • Shoppe

Com Lexos Hub, você consegue gerenciar os anúncios de todos os canais de venda online, de forma rápida e prática e analisar diferentes aspectos do mercado e das suas vendas.

Veja mais:

Manual Completo de Marketplaces Ads 

No entanto, o mais interessante é que é possível controlar o estoque de todas as suas lojas com mais precisão. Dentre os recursos, podemos citar:

  • Soma de estoque de lojas diferentes na quantidade do anúncio;
  • Escolha de diferentes CNPJs para faturamento;
  • Transferência de pedidos;
  • Atualização de estoque no fulfillment;
  • Controle de devolução de vendas.

Além disso, há outras funcionalidades, como automação de emissão de NF-e e etiquetas, lista de separação inteligente, estorno automático, faturador próprio, integração com sistemas de ERP, entre outros.

Integre e-commerces e marketplaces e controle tudo em um único lugar! Pedidos, anúncios e expedições. Teste grátis por 7 dias